Juvenis 2012 e diferenças entre Bicos de Lacre clássicos, mutações e Faces Laranja

O ano de 2012, aparte de algumas baixas importantes e inúmeros ciclos de experiências… tem sido definitivamente um ano “generoso”. A imagem superior corresponde a uma foto parcial de uma das minhas voadeiras com os Guarda Marinhos, da subspécie subflava subflava. O macho que aparece com a muda quase feita não apresenta qualquer vestígio “verde” ou outro tipo de manchas no peito. Terá certamente uma óptima cor…. mas já viram o tamanho das duas aves desfocadas em cima ao lado de um juvenil de Bico de Lacre de Bico Preto em plena muda? Já viram o porte? A imagem não o ilustra bem… mas é o que acontece quando “limpamos linhas”. Muitas das aves que aparecem em exposições pertencem à subespécie Clarkei como tenho vindo a referir. Atrevo-me a dizer que mais de 90% dessas aves são, como refere um amigo meu… “Manequins” aves que estão comprometidas a nível genético uma vez que são aves resultantes de cruzamentos entre subspécies, mas que são aves “bonitas” para exposição. Este ano faço questão de apresentar a minha linha talvez em duas exposições nacionais, para que os criadores possam ver com os seus olhos aquilo que eu tento aqui explicar. Posso dizer com toda a segurança que as duas aves em cima atingem mais 35 a 40% do porte comum da espécie. Se conseguir ter uma boa cor… terei aves de elite.

Uma das primeiras crias de Face Laranja desta época… apesar de ser um juvenil (provavelmente um macho), já viram a extensão e intensidade da face? Este é o resultado de trabalho de uma das minhas linhas de Faces Laranja. Cobrir as anilhas com fezes das aves, é uma de muitas estratégias a ter em conta quando trabalhamos em cria directa e queremos reduzir qualquer tentativa de expulsão das crias do ninho por parte dos progenitores.

Nesta fotografia aparecem dois Bicos de Lacre (à esquerda) e um Face Laranja (à direita). Como distinguir os juvenis entre si? Se repararem com atenção, os pontos brancos que aparecem no bico ( designados de diamantes) são mais proeminentes nas crias de Bico de Lacre que no Face Laranja. Na verdade e nos Faces Laranja, estas são mais discretas. Na imagem apresento 3 aves exactamente com a mesma idade. Não notam qualquer diferença na ave do meio? Tom da cor de pele? Trata-se da minha jóia da coroa 2012… uma de duas crias de uma experiência com os Bicos de Lacre e a primeira mutação já fixada cá em casa (para já… espero que sejam mais). Não sei ainda bem qual será o resultado, mas é isto que me mais me fascina na criação de aves… a imprevisibilidade. Terá de ser obrigatoriamente uma espécie de diluição. As melaninas serão discretas e a cor vermelha será menos extensa, mas mais notória devido ao contraste claro da cor da ave. Isto são as minhas suspeitas… espero enganar-me ou lá se vai a imprevisibilidade.

About Fernando Domingues

Criador de aves desde os 14 anos.

Posted on 06/08/2012, in Sem categorias and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: