Category Archives: Informação geral

Uma nova colectânea dedicada aos apaixonados pelos Diamantes de Gould

Há mais de um ano atrás encontrava-me a realizar uma “tentativa modesta” de uma compilação de conhecimentos sobre uma fantástica ave que apaixona criadores de aves por todo o mundo, estou a falar do Diamante de Gould. Infelizmente toda a informação foi acidentalmente destruída. Tratava-se de uma versão em formato profissional e devidamente corrigida, com vista à comercialização, dados os gastos envolvidos à produção. Um ano depois consegui resgatar uma versão incompleta e sem a devida correcção! No entanto, foi também minha decisão partilhar esta obra e totalmente gratuita. Esta é sem dúvida (pelo menos para já) a minha última contribuição ao desenvolvimento da Ornitologia Portuguesa e sobretudo aos criadores desta maravilhosa ave. Ao meu amigo António Rosa, Artur Ferreira e Vitor Antunes o meu mais sincero obrigado pela amável colaboração. Apesar de tudo… é a primeira obra portuguesa do seu género.

Legislação referente ao Bico de Lacre e exóticos em geral

O Bico de Lacre como é do conhecimento público, é uma pequena ave invasora, introduzida acidentalmente “com êxito” entre a década de 60/70 na região da Marinha Grande, tendo-se posteriormente alastrado a outras zonas do país. Numa altura em que surgem muitas dúvidas sobre a legislação que define a manutenção e reprodução do Bico de Lacre em cativeiro, deixo aqui as respostas às dúvidas essenciais

Ponto 1 – É expressamente proibido a captura destas aves (penso que até aqui todos o sabemos). Quem ignora… isso é da sua total consciência e responsabilidade;

Ponto 2 – É possível a detenção e reprodução desta espécie em ambiente doméstico desde que acompanhados do documento de cedência ou compra. TODAS as aves devem estar munidas de anilha oficial fechada ou não é válido. Se é preciso algum tipo de registo para criar esta espécie? Não se o objectivo do criador é meramente as exposições. No entanto se o objectivo do criador para além das exposições, é também a cedência (venda) de aves de modo a tornar o hobbie mais ou menos sustentável,  TODO e qualquer criador está automaticamente obrigado a proceder ao Registo de Criador junto do ICNB. O registo tem o custo de 130.5€ (taxa única e vitalícia) + 52.6€ anuais relativos a averbamentos/actualizações relativos a óbitos, nascimentos, cedências, trocas, aquisições. Eu não sou criador registado. Então porque é que eu posso reproduzir estas aves em cativeiro ao contrário da grande maioria ou totalidade dos criadores desta espécie em Portugal? Apesar de inicialmente ter partido de aves selvagens, já criava esta espécie antes da aprovação da legislação referente a 1999 e aprovação do Dec.-Lei nº7/2010. Como prova tenho catálogos dos Campeonatos do Mundo, entre outros. Pessoalmente vou proceder ao Registo de Criador.

Ponto 3 – Uma vez procedido ao Registo de Criador, o Bico de Lacre encontra-se no Anexo III do CITES, pelo que não necessita de qualquer documento adicional.

Legislação referente às outras aves exóticas

Todo o criador que detenha e reproduza aves exóticas não constantes do anexo I e II não está obrigado a qualquer tipo de registo/averbamento quando o único objectivo é apenas a exposição/concurso de aves e não a cedência de aves. Atenção que o CITES foi alterado Ver aqui!!! Todo e qualquer criador de aves exóticas que troque e ceda aves está automaticamente obrigado a proceder ao registo de Criador, de acordo o Dec.-Lei nº 7/2010.Estão incluídas TODAS as espécies exóticas, como o Diamante Mandarim, Diamante de Gould, etc… O valor do registo é de 130.5€ (realizado uma única vez) + 52.60€ anuais que incluem averbamentos relativos a actualizações (óbitos, nascimentos, aquisições, trocas e cedências).

O objectivo claro é o controlo das espécies exóticas que entram e saiam do país.O ICNB, agora ICNF (desde a semana passada e nome resultante da fusão entre ICNB e AFN (Autoridade Florestal Nacional) pretende levar a cabo a maior operação de controlo/vistoria de criadores. Mais info sobre esta fusão clique aqui!!! Ao que tudo indica eles “têm até agora fechado os olhos” e os autos na “Feira dos Passarinhos” do Porto é só um aviso, pelo que vão apertar com força.

Vai continuar a ser possível a venda de aves exóticas em exposições mas até ao que sei, a organização apenas pode ser responsável apenas pelas aves expostas. Não sei como será relativamente a mesas/STANDS. A organização de cada exposição deverá pedir atempadamente uma licença ao abrigo do art. 9º do Dec.-Lei nº565/99. Passo a citar resposta por parte do ICNB.

Exmº. Sr.Para a exposição de espécies exóticas apenas é necessário solicitar a licença ao abrigo do artigo 9º do Dec.-Lei nº 565/99 de 21 de Dezembro. No entanto normalmente esta licença é pedida pela organização da exposição e não por cada um dos expositores individualmente.

Primeiros ninhos 2012

Esta época de reprodução começa agora a dar os primeiros (quase) sinais de vida. Numa altura em que as estruturas de ferro daquilo que serão os novos 9 viveiros de reprodução e muda (faltam ainda muitos acabamentos), no viveiro “velhinho” estão já 4 ninhos confirmados. Quais são as espécies que já estão a nidificar? Para além dos ninhos já começaram as primeiras posturas dos dois casais de Guarda Marinhos, do casal de Bengalins da Índia e de um casal de Bico de Lacre de Bico Preto.

Fotos de ninhos só mesmo mais tarde, nem pensar em introduzir objectos estranhos dentro do espaço. Posso para já adiantar que os Rhodopygas (Bico de Lacre de Bico Preto) nidificam no chão, o ninho dos Guarda Marinhos é uma coisa super minúscula. Deposito algumas esperanças nestas aves, pois são aves com cor e porte fora do normal, sobretudo as fêmeas. Ainda é a primeira experiência com estas aves, portanto as expectativas não são as mais elevadas… tanto pode correr bem como pode correr mal. Prognósticos só depois do fim jogo.

Se tudo correr bem, no fim deste mês (Abril) já tenho a minha espécie de “centro de reprodução de aves exóticas” concluído e nele iniciarei a época de reprodução dos Bicos de Lacre e Faces Laranja.

Para quem não sabe, a edição#7 do Magazine Ornitológico conta com um artigo meu e inédito, relativo à reprodução e selecção do Bico de Lacre em cativeiro. Mostra ainda uma foto de uma mutação que vai ser trabalhada cá em casa: a castanha.
Para quem gostar muito desta espécie basta aceder ao sítio oficial do Magazine Ornitológico e fazer a encomenda da revista e não paga mais por portes de envio.

Reconhecimento nacional

Na passada Quarta-Feira fui alvo de um telefonema caricato. Tratava-se de um Jornalista de um dos mais prestigiados jornais nacionais, o Jornal de Notícias.

Assim, no dia seguinte (Quinta-Feira), deslocaram-se até às minhas modestas instalações para a realização de uma reportagem. Como a grande maioria das pessoas, que tive o privilégio de conhecer, esperavam encontrar alguém um “pouco” mais velho.

Durante as perguntas, fui informando acerca da “posição” da ornitologia nacional em relação aos outros países, mas sobretudo nos resultados alcançados em Tours, quer ao nível de participantes, quer de medalhas conquistadas. Cedo percebi, que infelizmente a reportagem seria sobre mim e não sobre o panorama da ornitologia desportiva em Portugal.

De qualquer modo, fico contente por pouco-a-pouco, divulgarem este hobbie que nos une.

já arrancou a época 2010…

Depois de um investimento pessoal em informação relativo ao meu tipo de aves…depois do investimento na aquisição de aves para um reforço do plantel e depois de idealizadas e terminadas as novas instalações (embora ainda muito humildes), eis que as minhas aves arrancaram com a tão esperada época de reprodução.

Trata-se ainda apenas do início, mas neste momento já conto com o primeiro bico de lacre anilhado (postura afectada por uma enorme trovoada, de que há muito não havia memória). Noto perfeitamente alterações no comportamento das aves, depois que as introduzi nos viveiros novos e para melhor.

Não nos viveiros novos mas ainda no antigo (pois é lá que estas aves melhor se adaptaram, embora não reunindo as mesmas condições dos novos), tenho um casal de faces laranja com ovos, embora ainda não saiba o número, pois o ninho é muito frágil e são aves que gostam de muito sossego em período de incubação.

Do outro lado e agora sim nos novos viveiros, tenho o primeiro ninho natural de bico de lacre, uma vez que até à data sempre preferiram os ninhos de pardais de java (embora o ninho natural tenha sido construído em cima de um…). Os bengalins da Índia também já começam a “brincar” com a fibra de côco, enquanto que o macho já começa a “vestir” a sua plumagem nupcial, ao mesmo tempo que aumentam as suas vocalizações.

Este ano os meus esforços serão principalmente canalizados para os faces laranja. No ano passado só um conseguiu sobreviver, mas sem dúvida que a experiência obtida, em muito ajudará para que o mesmo não se volte a verificar este ano.

mas prognósticos só depois do fim do jogo….

Campeão e Vice Campeão do Mundo!

11 anos de trabalho e dedicação por uma espécie que me é muito querida, resultaram nestas medalhas:


1 Medalha de Ouro com uma 1 equipa de fêmeas de Bicos de lacre  | F2-33 (3 aves com 90 pts + 89pts;

1 Medalha de Prata com um macho individual | F2-34 (92pts).


É sem dúvida a confirmação de um caminho, que passa pela especialização de um género de aves: estrilda!



Votação fechada. Obrigado pelo seu contributo!

De forma a que este blogue em particular continue a ser do seu interesse, agradeço a sua colaboração para o pequeno inquérito apresentado abaixo, sobre a avaliação da imagem do Estrildidae.

O seu contributo é fundamental!
Desde já agradeço a sua compreensão e tempo disponibilizado.

Encerramento oficial da época de reprodução 2009

Finalmente (digo finalmente porque foi um pouco desgastante) terminou para mim a época de reprodução.
Aparte do que correu mal (perdi uma ninhada inteira de faces laranja com 3 semanas + outras 2 crias… muito devido ás descidas bruscas de temperatura que decorrem nesta época do ano), foi um ano excepcional, vejamos bem:

6 Bicos de Lacre clássicos;
6 Bicos de Lacre de uma nova mutação (muito trabalho pela frente);
6 Híbridos Face laranja x Bico de Lacre;
6 Degolados (desisti dos Degolados);
1 Face laranja.

Todas as aves anilhadas

Para mim foi um ano extremamente positivo! Já não criava aves há bastante tempo por causa da Faculdade, e de repente correu melhor que nunca. Participações foi uma (1º lugar com mutações de Bicos de Lacre no Campeonato Internacional do Atlântico, com 92 pts) e preparo a última e a mais importante: Campeonato Mundial de Ornitologia.

Aprendi bastante este ano, quer pela positiva, quer pela negativa! E descobri os truques fundamentais… e ressalvo: TEM MUITO QUE SE LHE DIGA…agora só mesmo arranjar umas instalações com melhor qualidade.

Estrildidae arranca oficialmente

Antes de mais gostaria de pedir desculpas, dado o facto de as minhas aves estarem em plena reprodução, ainda não tenho muitos conteúdos para postar. No entanto dado o elevado número de visitas ao blogue (que desde já agradeço), é a altura de começar a falar da minha experiência pessoal com a reprodução de estrildas. Devo também dizer, que este ano está a ser extremamente surpreendente, tenho bastantes novidades que certamente serão do vosso interesse, mas que só divulgarei depois de terminada a época de reprodução. Espero que compreendam.

Bem vindo ao estrildidae…

Este Blogue tem como objectivo principal dar a conhecer as minhas experiências pessoais, assim como, tentar preencher lacunas, quer a nível de informação, quer de imagens.

Página em construção… brevemente mais notícias.

Atentamente

Fernando Domingues